Veja como garantir o saque das contas inativas do FGTS


Com a perspectiva de sacar o dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de
Serviço), muitos trabalhadores começaram a buscar seus extratos para saber quanto e se
terão direito à sua retirada, que será liberada entre março e julho.
Como muitos estão procurando essas informações pela primeira vez, só agora estão
percebendo que têm falhas nos registros da Caixa Econômica Federal, responsável pela
gestão do fundo.

Um caso bastante comum é o do trabalhador que descobre ter dois números de PIS, ou
um número de PIS e outro chamado NIS (Número de Informações Sociais).
O advogado Danilo Santana diz que esse último caso pode ter ocorrido porque, em vez
de pedir o NIS do trabalhador, o departamento pessoal da empresa fez uma nova
inscrição.

A falha é similar ao caso do trabalhador com dois números de PIS diferentes, que pode
ter sido causada por uma nova inscrição feita por um empregador, mas também quando
uma carteira de trabalho é extraviada. As novas carteiras, digitais, trazem o PIS
impresso na primeira página. Já nas antigas, o número era registrado em "anotações
gerais".

Santana considera que, apesar das muitas dúvidas, e diversas situações encontradas
pelos trabalhadores nos extratos, a informação mais importante é a data de saída do
trabalho, pois é isso que permitirá acesso ao dinheiro.
O governo Temer (PMDB) promete divulgar no próximo mês um calendário de saques
de contas inativas até 31 de dezembro de 2015.

O advogado considera, porém, que algumas falhas poderão atrasar o saque, como
inconsistências nos dados registrados no sistema. "Pode atrasar um pouco porque vão
conferir todos os dados e o trabalhador pode ter que apresentar outro documento que
confirme as informações lançadas."

Fonte: FOLHA.UOL

LEIA MAIS IMPRIMIR ou SALVAR COMPARTILHAR ou SALVAR SALVAR PDF